Um pouco de senso e consciência

Um pouco de senso e consciência
Eu não me importo que vocês levem conteúdos daqui para suas plataformas (ou outras redes), mas ao menos deem uma moral para quem realmente pesquisou tais informações, né?

quarta-feira, 12 de maio de 2021

BECKY HILL É UMA DAS MAIORES VOCALISTAS DA DANCE MUSIC ATUAL

COM VOZ MARCANTE E POTENTE, BECKY HILL É A CANTORA "DANCE" MAIS PROMISSORA DA ATUALIDADE

Ela quer dominar os charts dos clubs mundiais...

Você pode citar o nome de qualquer cantora da Dance Music dos anos 90? Sim, fácil, né? Agora, tente citar o nome de uma cantora dos anos 2000?? Vários nomes vieram em sua mente também, certo? 

Mas, você já parou para pensar em nomes de artistas que estão escrevendo a história dessa atual década???

Pois é isso mesmo, sem demagogia aqui, mas futuramente o nome de Becky Hill poderá estar entre os mais influentes da Dance Music dessa atual geração, devido ao seu comprometimento, inúmeros trabalhos na área Dance e por ter um vocal poderoso na pista... 

Você pode não estar se lembrando agora, mas com certeza já ouviu um certo sucesso em sua voz...  Sabe aquele mega-hit "Lose Control", do trio italiano Meduza? Então, é Becky Hill quem o canta... E confesso que a primeira vez que a escutei, achei a voz dela uma mistura bem louca de Dua Lipa com Justin Bieber ... Mas resumidamente gostei muito do que ouvi, e a música fica na mente, com aquele vocal forte e agudo, sem falar na produção do Meduza, bem característica, e que você consegue reconhecer logo nos primeiros segundos.

E apesar da música com Meduza fazer sucesso em 2020 (aqui no Brasil ainda muito tocada nas rádios), "Lose Control" é, na verdade, um single de 2019:


Meduza x Becky Hill x Goodboys ‎– "Lose Control" (2019)
Video Oficial
A Dance Music parece não mudar, mesmo com o passar de décadas... Os caras continuam não destacando a vocalista... (hahaha)
No vídeo, aparecem dezenas de figurantes, modelos para ser mais exato, e todos com "caras de poucos amigos". E digo mais, alguns estão com caras de que não almoçaram no dia da gravação... 

Becky Hill tem talento de sobra para cantar verdadeiros sucessos da Dance Music atual, por mais que não seja reconhecida aqui no Brasil, terra onde associam a música eletrônica limitadamente ao "DJ Alok".

Seu nome real é Rebecca Claire Hill, nascida em 14 de fevereiro de 1994 (nunca o Blog mencionou alguém tão jovem) na cidade de Bewsley, no Reino Unido. 


A jovem cantora Becky Hill não é só um rostinho bonito...

Só para terem uma ideia da dimensão do talento da jovem, ela já escreveu e cantou oito músicas que receberam Certificados de Platina, além de ter sido a #1 em diversos charts importantes do Reino Unido.

Becky Hill sempre teve um pezinho na música, e aos 14 anos de idade já escrevia as suas próprias composições. Não demorou muito e ela passou também a se apresentar com uma banda, chamada Shaking Trees.

Mas a fama só bateu a sua porta quando Becky participou do programa "The Voice" (UK), cantando "Ordinary People" de John Legend. Vejam o vídeo abaixo, de 2012, onde ela canta e recebe a aprovação dos cantores pop, Jesse J. e Will I Am (Black Eyed Peas)... Ela mal começa a cantar, e eles já viram as cadeiras!!


Becky Hill - "Ordinary People" (cover)
The Voice UK

Então, logo após a essa sua participação no "The Voice" (ela foi eliminada apenas na semifinal), Hill escreveu (e cantou) a letra de "Gecko" de Oliver Heldens, ao lado de MNEK. A canção liderou a parada de singles do Reino Unido em junho de 2014, e a vocalista consequentemente se tornou na primeira candidata do "The Voice" (UK) a alcançar o #1 nas paradas. 

Depois disso, a cantora não parou mais de batalhar e lançar singles atrás de singles, sempre dentro do gênero "Dance", como a música "Back & Forth" (2018) numa parceria com MK & Jonas Blue.

Becky Hill não tem nenhum álbum de estúdio lançado, mas apresentou em 2019 uma coletânea intitulada de "Get To Know", com 13 faixas, e conseguiu arrebatar a incrível marca de 150 mil cópias vendidas, além de bater o maior número de streams de uma artista feminina (Reino Unido). Essa coletânea, que traz hits como "Back & Forth", "Lose Control", entre outros, ainda conseguiu ser Certificado de Ouro...


Becky Hill, a cantora de Dance Music da atual geração

Esse assunto sobre streams parece um pouco confuso para quem sempre acompanhou os charts dos anos 80,90 e 2000, né?... porém, não podemos nos esquecer que estamos vivendo na Era das plataformas digitais, e essa nova forma de vender música é onde a britânica parece saber dominar muito bem...

Aos 27 anos, Becky acumula mais de 1.75 bilhões de plays apenas no Spotify, 900 mil streams somente no Reino Unido e mais de 14 milhões de ouvintes mensais na plataforma. É visível o interesse por Becky Hill na Europa, principalmente em seu país!!

Ainda em 2020, Becky colaborou com Tiësto na música "Nothing Really Matters", que também foi bem popular entre os ouvintes de Dance Music. Mais tarde, ela participou de uma outra canção do produtor, chamada "Over You".


Tiësto feat. Becky Hill - "Nothing Really Matters" (2020)
Video Oficial
Material gravado na quarentena, assim como outros vídeos da época...

Em agosto de 2020, Becky chegou a anunciar em seu Instagram que a gravadora Polydor havia confirmado um possível lançamento de seu álbum de estreia: 

"Só para vocês saberem, a Polydor me deu uma data de lançamento para o álbum, que deverá sair no próximo ano (2021), e isso é para que vocês saibam que realmente está acontecendo, depois de 8 anos ele está vindo". 

Em novembro de 2020, ela fez um cover do clássico "Forever Young" do Alphaville para um comercial natalino do McDonald's, que se tornou a sua primeira música solo a alcançar o Top 40 do Reino Unido (ela sempre esteve envolvida antes apenas como "featuring"...)

No começo de 2021, Becky Hill trabalhou com o brasileiro Bruno Martini e gravou a música "Wake Up With You" (parceria também com Magnificence):


Bruno Martini, Becky Hill, Magnificence - 
"Wake Up With You" (2021)
Vídeo Oficial
Por incrível que pareça, ouvi essa "novata" tocar na Jovem Pan... Só acho essas batidas muito sutis demais para o meu gosto, nem dá para senti-las... Talvez EU que não esteja preparado para essa nova tendência da Dance Music... mas a música em si é boa!


E mais recentemente ainda, no final de março de 2021, Becky Hill lançou a sua mais nova música "Last Time":

Becky Hill - "Last Time" (2021)
Vídeo Oficial
Becky Hill quer continuar na sua escalada rumo ao sucesso com "Last Time"


Aos 27 anos, a artista afirmou ao site da Universal Music:

"Este ano pretendo levar minha carreira e minha música para o próximo nível, não só no Reino Unido, mas em todo o mundo. Eu amo o que faço, coloco muita paixão e espero que você ame tanto quanto eu este novo single, ‘Last Time’, e também a música que irei fazer no verão"

E como ela quer muito isso, eu só posso te dizer: Divirta-se e dance muito, com Becky Hill!


domingo, 9 de maio de 2021

"WHAT IS LOVE" DE HADDAWAY COMPLETA 29 ANOS E ELE VOLTA COM NOVAS MÚSICAS!!!

HADDAWAY - "WHAT IS LOVE" COMPLETA 29 ANOS E SEGUE COMO UM DOS MAIORES ACONTECIMENTOS DA DANCE MUSIC MUNDIAL

"NÃO ME MACHUQUE MAIS... NÃO MAIS..."

E olha só quem está fazendo aniversário... "What Is Love", de Haddaway!!! Esse mega-clássico do eurodance foi oficialmente distribuído como single no dia 08 de maio de 1993, mas é errado dizer que este sucesso está completando 28 anos....pois, na verdade, "What Is Love" já havia sido lançado em maio de 1992 na Alemanha. Ou seja, são 29 anos de aniversário!!

O nome real desse sensacional artista é Alexander Nestor Haddaway, e nasceu em 9 de janeiro de 1965 na ilha de Trindade e Tobago (próximo da Venezuela). Filho de um oceanógrafo holandês e de uma enfermeira de Trindade, Haddaway começou a se dedicar à arte musical quando morava nos EUA, época que era adolescente e estudava no colégio "Meade Senior High School", e onde sempre participava das bandas sinfônicas, jazz, apresentações de palco... 


Haddaway matou a pau com "What Is Love", "Life", "Rock My Heart", "I Miss You"...

Haddaway estudou nesse colégio até 1983 (quando já tinha 18 anos de idade) e posteriormente também fez algumas colaborações com uma banda cover chamada "Chance", enquanto estudava Ciências Políticas na Universidade George Washington, em Washington (EUA). 

Em 1989, então com 24 anos, Haddaway foi morar na Alemanha, na cidade de Colônia, onde as engrenagens da Dance Music começaram a se encaixar na vida dele. Ele trabalhava muito na Alemanha, atuando como jogador de futebol americano, coreógrafo, vendedor de tapetes... e também fazia música para ganhar um dinheiro extra.

A chance do cantor veio em 1992, quando ele assinou um contrato com o selo alemão Coconut Records, então foi a partir daí que a Eurodance dos anos 90 nunca mais foi a mesma...


Haddaway - "What Is Love" (1992)
Vídeo Oficial
Quase 30 anos se passaram, e essa música continua insuperável!! 
Energia, melodia, instrumental, harmonia... QUE CLASSE!!

O primeiro single "What Is Love" (1992) foi arrebatador nos clubs e FM's de todo o planeta, influenciando ainda diversos outros artistas dos anos 90 e colaborando muito na ascensão do eurodance daquela década. Inicialmente estourou apenas na Europa (começando em 1992 e depois se espalhando por 1993), tornando-se o #1 em pelo menos 13 países e alcançando o #2 na Alemanha, Suécia e Reino Unido. 

Fora da Europa, o single também foi muito aclamado, alcançando o #11 nos Estados Unidos, o #12 na Austrália, e o #17 no Canadá. 

Haddaway teve suas músicas veiculadas nos clubs, rádios e até nas telenovelas!

No Brasil, "What Is Love" foi uma das canções mais tocadas pelos DJ's nas noites de 1993, além de ter sido incluída na trilha sonora da novela "Sonho Meu", como tema do personagem "Lucas", interpretado pelo ator Leonardo Vieira. 

Este também foi um período muito favorável para a Dance Music, e tínhamos sempre no ranking das mais tocadas, músicas de artistas icônicos como Masterboy, Ace Of Base, Captain Hollywood, Robin S., Dr. Alban, Culture Beat, 2 Unlimited... Enfim! Foram tempos gloriosos!!!

Eu aceito trocar esses charts de 1993 por um dos nossos mais atuais, e vc? 

Haddaway - "Life" (1993)
Vídeo Oficial
A música estreou nos charts brasileiros em setembro de 1993, e seguiu o mesmo caminho do sucesso "What Is Love"

O disco de estréia de Haddaway, "The Album", foi lançado em 1993 e trouxe novos frutos para os fãs do cantor. O segundo single "Life" (uma de minhas favoritas) atingiu o #2 na Alemanha, #6 no Reino Unido e #41 nos EUA. Esse novo som estreou nos clubs brasileiros em setembro de 1993 e também teve o seu merecido destaque. 

Devemos ressaltar ainda a romântica "I Miss You" (tema da novela "A Viagem", 1994) e a destruidora "Rock My Heart", dois grandes singles que também foram TOP 10 na Europa e América.

A canção "What Is Love" ainda rendeu à Haddaway dois prêmios no German Echo Award de 1994, nas categorias "Melhor Single Nacional" e "Melhor Single Nacional de Dance", e um reconhecimento que perdura até os dias atuais... 

Há 27 anos, em maio de 1994, ele ainda esteve no Brasil e se apresentou no programa "Domingão do Faustão" (no fatídico domingo que morreu Airton Senna). Nesse dia ele apresentou seus trabalhos "What Is Love" e "Rock My Heart", e ainda falou sobre a morte de Airton Senna. 

Quem viveu isso, jamais se esquecerá!


Na Toco Dance Club, uma das mais populares casas noturnas de SP, só deu "What Is Love" em setembro de 1993


Haddaway - "Rock My Heart"(1993)
Vídeo Oficial
Não deixe de ouvir também a versão extended, que consegue ser ainda mais contagiante, dando mais enfase ao backing vocal feminino...
 Fantástico!!

Os Dj's colocando Haddaway no topo em Curitiba-PR

Em 1995, o Eurodance continuava dominando o mundo, e Haddaway lançou o seu tão aguardado segundo álbum: "The Drive".

Este disco gerou o hit "Fly Away", bem como a espetacular "Catch a Fire" e "Lover Be Thy Name", todas responsáveis por estabelecê-lo como um dos maiores artistas do Eurodance. 

E depois de tantas faixas aclamadas, vejam só que loucura... Eu vi a MTV exibindo o clipe de "What Is Love" num especial de "One-Hit Wonder", e isso me incomodou demais... Esse povo tem o que na cabeça? É muita ignorância achar que Haddaway é um artista de um hit só!

Fiquei inconformado com aquilo que estava vendo. Na sequência, a MTV ainda transmitiu "Barbie Girl" do Aqua, então logo troquei de emissora...(para não quebrar a TV com uma voadora). É muita falta de informação desses programadores...


Haddaway - "I Miss You"(1993)
O artista não atingiu as paradas apenas com Dance Music, mas ainda nos brindou com essa lindíssima balada, que foi muito bem tocada em todas as rádios... O cara tinha a "manha" de fazer muitos hits!! "One-Hit Wonder" é o caramba!

Em 1998, Haddaway lançou o seu 3º álbum e alguns singles também chegaram ao Brasil, mas infelizmente já não recebia tanto destaque como nos anos anteriores, principalmente da Jovem Pan 2, que não abriu nenhum espaço para essas novidades do cantor...  Mas, rádios menores do país tocaram muito na época... o que foi muito bom!! Dentre esses singles podemos citar "What About Me" e "Who Do You Love", que tenho até hoje em minhas K7s gravadas via Educadora FM.

E "What Is Love" virou meme - antes mesmo da palavra meme existir - e cresceu em popularidade novamente, desta vez como trilha sonora do filme "Os Estragos de Sábado A Noite" (1998), que é uma paródia de "Os Embalos de Sábado A Noite" (1978). A música também foi apresentada num comercial da Pepsi de 2008; e em 2010, foi sample vocal para a faixa "No Love" do rapper Eminem

Ah, e em 2014, a cantora de pop-dance Kiesza também recriou essa música. Ou seja: É um clássico imortal que está sempre voltando e sendo revisitado pelas novas gerações!!

Não adianta fugir muito de "What Is Love", é atemporal e irá te perseguir onde quer que você vá!


Toda a diversidade musical dos anos 90: Tim Maia, Pearl Jam, Jon Secada, Biquini Cavadão...e Haddaway no topo da rádio Transamérica, em setembro de 1993!!


Mas... O que é o amor, afinal? 

O cantor disse que essa é uma questão muito individual, que cada um tem a sua forma de definir o que é o amor, mas afirmou que para ele significa confiança, amizade, cumplicidade e companheirismo.

Haddaway nunca parou de lançar suas diversas músicas, mesmo não conseguindo o mesmo sucesso de antes (1992-1998). Inclusive, acabou de lançar dois singles nas últimas semanas: "And Now" e "Part Of You" (que é uma colaboração dele com o projeto FHE). 

No youtube, a recepção está sendo positiva:


"As músicas do FHE são umas das melhores coisas que conheci este ano"

"Ft Haddaway? Put* merd*, que maravilha deve ser trabalhar com essa lenda. <3"

"Boas vibrações" 


FHE feat. Haddaway - "Part Of You" (2021)

Sobre o seu novo single solo, "And Now", em sua página pessoal o artista avisa :

"Olá pessoal, este é meu novo single

'AND NOW'

Neste tempo de quarentena, tentei fazer o meu melhor para esse novo trabalho.

Meu parceiro Paul Keenan e eu escrevemos 13 ótimas faixas"


Haddaway - "And Now" (2021)

A todo, Haddaway já lançou 06 álbuns oficiais e inúmeros singles... Contudo, muitas dessas canções fizeram sucesso, enquanto que outras simplesmente passaram despercebidas...
"And Now" (2021) eu conheci no último podcast do Fábio Allan, que você pode ouvir ou baixar acessando aqui (tem outros lançamentos da música eletrônica também).

Para quem gosta de acompanhar e prestigiar as novidades dos artistas (eles estão vivos!!), fica aqui a dica.

Viva o Eurodance clássico, siiiim!!! Mas não matem a Dance Atual!!!

ENJOY!!

sexta-feira, 7 de maio de 2021

ME & MY - AS IRMÃS DO BUBBLEGUM DANCE DINAMARQUÊS

No final de 1995 só deu elas!! A dupla do ME & MY alcançou o sucesso em muitos países com o seu 1º single "Dub I Dub", lembram???

ME & MY - AS SUPER IRMÃS DO EURODANCE ANOS 90

Pois é amigos nostálgicos, as irmãs da Dinamarca Pernille Georgi e Susanne Georgi estouraram no mundo todo quando tinham 21 e 19 anos (respectivamente), sendo também as autoras de "Dub I Dub"... ou seja, diferentemente de outros projetos da Dance Music, elas eram bonitas comercialmente e também talentosas de verdade!

Só para ter uma noção, as "sisters" foram eleitas pela importante revista Mix Magazine (em 1995), como o maior talento revelação daquele ano... Porém, é bom lembrar que Pernille e Susanne formam uma dupla musical há muito mais tempo que isso, e desde a infância lutavam para conquistar um espaço na área musical.

As irmãs Pernille e Susanne sempre foram artistas

Para a revista brasileira DJ Sound, no início de 1996, Pernille disse:

"Nós sempre gostamos de música e quando tínhamos 11 e 9 anos começamos a trabalhar no teatro, num musical. Fizemos isto por mais ou menos 4 anos. Depois de um tempo quisemos sair do teatro... Compramos um violão e um piano, e saímos pela Dinamarca tocando". (Pernille Georgi)

Como eram muito crianças, ainda ressaltou: "Nessa época, os nossos pais sempre nos acompanhavam, se não era no teatro, era circulando pelo país". (Pernille Georgi)


MAS QUEM SÃO ELAS?

Susanne Jonah-Lynn Georgi é a mais nova, nasceu no dia 27 de julho de 1976, na cidade de Give, Dinamarca. Ela é a garota de cabelo castanho, e na música tem como ídolos Michael Jackson e a dupla The Carpenters

Pernille Georgi (apelido: Pern) nasceu no dia 24 de julho de 1974, na cidade Kolding, Dinamarca. Ela é a loira, e também tem como ídolo o cantor Michael Jackson.

Antes de se tornarem conhecidas mundialmente como Me & My, elas tiveram um outro nome artístico: SuPer Sisters. Foi no dia 14 de janeiro de 1989, há 32 anos, que elas se apresentaram pela primeira vez como SuPer Sisters (numa festa de aniversário na cidade dinamarquesa Herning). Na tal data, tinham apenas 15 e 13 anos de idade, e esse nome do duo era uma junção das primeiras iniciais das duas garotas: Susanne & Pernille.


SuPer Sisters em 1989 na capa do 1º álbum (lado esquerdo) e se apresentando em seus primeiros eventos (lado direito)

Ainda em 1989, lançaram um álbum que levava esse nome, "SuPer Sisters", embora a revista DJ Sound tenha mencionado na época, que seu título seria "Fuld Fart Pa" (Velocidade Máxima, em português), mas este é apenas o nome de uma das músicas que estão nesse álbum...

No ano seguinte, 1990, lançaram seu segundo registro de inéditas, "Mariehønen" (1990), sendo que ambos são totalmente cantados em dinamarquês, idioma natal da dupla.


As irmãs do Me & My nos anos 80...
Elas eram as "SuPer Sisters" (1989)

Essa apresentação delas me fez lembrar de FUN FUN - "Happy Station" (1983):

Fun Fun - "Happy Station" (1983)
Clássico da Italo Disco que bombou na Europa na década de 80

- "Começamos como SuPer Sisters quando éramos mais jovens. Nós cantávamos e brincávamos em lares de idosos, mercados e lugares assim. Na verdade, já éramos um pouco famosas em nossa cidade" (Pernille Georgi)

Antes de começarem a produzir seus singles extremamente comerciais, elas ainda tentaram participar do concurso Eurovision Song (1991), mas infelizmente não conseguiram pois Susanne só tinha 15 anos de idade (a idade mínima era de 16 anos). E detalhe: A música que seria interpretada pela dupla, foi cantada por um outro artista que ficou em 2° colocado na final nacional dinamarquesa... Foi muito azar!

Outra coisa negativa ocorria também: a gravadora que tinham contrato, faliu nesse período.

Então, o jeito que a dupla arrumou foi trabalhar fora da música, pois elas precisavam de dinheiro... Pernille conseguiu um emprego numa emissora de rádio, enquanto que Susanne foi para Copenhague trabalhar numa empresa de computadores.

Mas a música ainda pulsava entre as irmãs... Em 1993, acabaram participando de uma competição de karaokê, e adivinhem, elas ganharam! Então, após a essa vitória apareceram no programa de TV dinamarquês chamado "Mantag Mandag", onde foram entrevistadas pelo apresentador e ainda cantaram "For Your Eyes Only":


Susanne & Pernille (Me & My) - 
"For Your Eyes Only" (1993)

Não demorou muito e o destino começou a agir na vida das irmãs... A dupla assinou um contrato com John Aagaard, um empresário que trabalhava com alguns produtos de eurodance, como o projeto Cut 'N' Move, e assim tudo começou a fluir novamente.

O primeiro single de sucesso foi "Dub-I-Dub", que também deu início à carreira musical das irmãs como Me & My, e as levando ao triunfo na cena Dance Européia. 


COMO SURGIU "DUB I DUB"

"Dub I Dub" nasceu no natal de 1994, e inicialmente foi apenas um insight de Susanne. Ela pegou a ideia que veio em sua cabeça e gravou esse fragmento numa fita K7, e depois foi mostrar à John AAgaard e à sua irmã Pernille. Todos adoraram a "futura música", e em uma semana já estavam em estúdio trabalhando em cima dessa "ideia".

Na sequência, o empresário entrou em contato com o produtor de dance music Dean Niels Nielsen (falecido em 16/05/2015), que se comprometeu em produzir o single (um de seus primeiros trabalhos na área musical). Também colaborou na produção Johnny Pedersen (Johnny Jam), que futuramente trabalharia nos arranjos / composições / produções de outros símbolos do eurodance, como Aqua, Ace Of Base, Daze e Cometz (você se recorda de "Scooby Dooby Boy"?).

Outra dupla que trabalhou neste primeiro disco do Me & My, são os dinamarqueses Jan Langhoff (falecido em 10/07/2017) e Peter Hartmann, que também possuem um histórico privilegiado como produtores / compositores / remixadores para Aqua, A-teens, Chipz, Ace Of Base, Dr.Alban, Nick Kershaw e Corona.

Logo mais, a equipe também conseguiu fechar com uma gravadora... a internacional EMI, e em 06 de julho de 1995 elas se tornaram oficialmente a dupla Me & My. Pronto, tudo estava indo muito bem e só faltava agora conquistar um público... 



Crédito das fotos: Esben Meyer Klingenberg Christensen

No primeiro show em que "Dub I Dub" foi apresentada, 25 mil pessoas vibraram, e essa se tornou a música do verão na Dinamarca. O famoso single foi lançado no dia 18 de setembro de 1995 e rapidamente se destacou nos charts de muitos países europeus, atingindo o topo na Dinamarca, Suécia, Bélgica, além de ter sido um dos 20 maiores hits da Hungria, Itália, Finlândia, Suíça, Noruega e Áustria. Na América, explodiu também no Canadá, pegando o #2 das músicas mais tocadas daquele país. 

No Brasil, a música também fez bonito e entrou no Top 30 da Jovem Pan (o mais importante chart de radio, na época) pegando o #6 no mês de outubro de 1995, continuando depois em #12 em novembro / 95.


Filmando "Dub I Dub"

Com a dupla no auge, logo foi filmado um videoclipe para a track, dirigido pelo artista dinamarquês Peter Ravn. O clipe, que é bem simples e de fundo branco, cumpriu com o seu propósito em apresentar as irmãs pela 1ª vez ao público, as mostrando alegres, divertidas, e com o perfil de quem adora uma algazarra. Na época, a AIDS era um problema tratado com mais seriedade, então diversos artistas tentavam conscientizar os jovens sobre a importância do uso da camisinha, e o mesmo acontece neste vídeo, nas cenas entre 02'00" e 02'07". Por essa inserção no vídeo, também podemos configura-lo como um material educativo aos adolescentes daquela geração. 

Mas no geral, é um vídeo simples, animado, e dá para sentir que as vocalistas estão se divertindo de verdade... Elas aparecem como leiteiras ordenhando uma vaca, como enfermeiras, e até se escorregando de verdade na lambança final que estão fazendo.


Me & My - "Dub I Dub" (1995)
Video Oficial

A música "Dub I Dub" ganhou um cover interessante também, de um projeto conhecido aqui no Brasil como "Minie Mine" e lançado na coletânea "TV Dance", da Paradoxx Music. Essa curiosa regravação foi uma criação da italiana S.A.I.F.A.M, e na minha opinião, até melhor que a original. Os vocais estão bem convincentes e a instrumental parece até mais empolgante... Percebe-se também alguns elementos mais harmoniosos que na versão do Me & My, sem desmerecer o hit da dupla dinamarquesa, é lógico.

Talvez eu prefira esta versão pois me acostumei muito a ela, de tanto que a ouvi na ausência da faixa original. A gravadora EMI representava o Me & My por aqui, em 1995, mas eles nunca foram especialistas em lançar coletâneas de dance music ao público, então demorou muito para que eu encontrasse a versão do Me & My.


Minie Mine - "Dub I Dub" (1995)
Cover bem feitinha que a Paradoxx "ajeitou" em 1995...

No final de 1995, quando essa faixa cover foi adicionada na coletânea "TV Dance", a original também era inserida pela Spotlight Records na coletânea "Ritmo da Noite Vol. 3" (que só fui ter acesso, uns 3 anos depois).

Depois de algum tempo pesquisando, constatei que a S.A.I.F.A.M. criou este cover sob o nome de The Twins - "Dub I Dub". Ou seja, a Paradoxx Music adquiriu os direitos da faixa e simplesmente trocou o nome do projeto por "Minie Mine", numa estratégia óbvia para confundir os ouvintes.


O TALENTO E A POPULARIDADE DO ME & MY 

Como já citado, as integrantes do Me & My sempre foram artistas e cantavam de verdade as suas canções, diferente de certas dinamarquesas que também figuravam nos charts dos mesmos anos 90. Além disso, elas ainda escreveram todo o seu próprio material, e cada música lançada era um sucesso instantâneo em muitos países... Aqui no Brasil, emplacaram bonito com os dois primeiros singles: "Dub I Dub" e "Baby Boy".

Sobre "Baby Boy", foi muito bem na Dinamarca e Hungria, conquistando novamente o #1 nas paradas, além de atingir ótimas posições em diversos países europeus. 

No Brasil, foi também bastante executada nas FM's e pistas de dança, estreando em #18 no Top 30 da radio Jovem Pan - em janeiro de 1996. Já em fevereiro, "Baby Boy" só cresceu e chegou ao topo em #3, superando até o desempenho de "Dub I Dub"


Me & My - "Baby Boy", sendo um dos destaques na coluna de Lançamentos da Revista DJ Sound

Me & My - "Baby Boy" (1995)
Vídeo Oficial
Mega-hit no início de 1996!!

O vídeo oficial de "Baby Boy" é mais um trabalho visual simples como o anterior. Aqui, as cantoras estão fantasiadas de coelhinhas, gatinhas e até mesmo como santas segurando dois bebês. 

Esse 2º single traz mais uma vez um refrão altamente repetitivo, e ao escrever uma matéria sobre essa dupla de irmãs, a revista DJ Sound até brincou sobre os versos monossílabos e os qualificou como "contagiantes" e "fáceis de assimilar":

"PA PA PA PA PA PARA PARA YEAH! YEAH!

SHOOP SHOOP SHOOP DUB DUB

DUB I DUB I OH BOO BOO

Estas 'interjeições' nada dizem, mas encaixam perfeitamente nas músicas...Todos cantam, até aqueles que não aguentam mais... Há também aqueles que cantam DU PERU, mas tudo é válido" (DJ Sound, nº62, março, 1996)


Indicação de DJ Badinha na Revista DJ Sound - Coluna de Lançamentos (1996)


O 3º single "Lion Eddie" tocou em algumas rádios daqui, mas infelizmente não chamou tanto a atenção, mesmo sendo uma ótima e divertida canção... E na minha opinião, é uma das melhores da dupla!! O vídeo também é bem superior aos antecessores, pois vemos finalmente o Me & My sair daquele "fundo branco" e embarcando numa aventura mais ambiciosa, e brincam com um universo que é a cara delas: o circense!!  Muita vibe positiva, momentos engraçados, e claro, com a animação, emoção e a magia do picadeiro, onde elas encenam com alguns palhaços e leões! Essa atração visual merece muitos aplausos!!

No Brasil, o Me & My começou a perder força com esse 3º single, mas nos demais países a dupla ainda se manteve muito forte, inclusive com singles que vieram posteriormente, como "Waiting" (1996).

Me & My - "Lion Eddie" (1995)
Video Oficial
Sucesso em 1996!!!

Elas lançaram também o seu álbum de estreia, "Me & My" (1995), que felizmente chegou por aqui através da gravadora EMI - Brasil (o único álbum delas em terras tupiniquins). 

Prestem atenção na capa desse 1º álbum das garotas, pois a imagem da capa se originou de uma das cenas do vídeo de "Baby Boy" ... Bom, vamos ser sinceros aqui? A verdade mesmo, é que as cantoras não fizeram nenhuma sessão de fotos para este álbum, e todas as imagens presentes no encarte são de cenas capturadas de seus clipes. Erraram feio nisso!!


As girls do Me & My no Brasil, "lendo" a DJ Sound com a Lina Santiago na capa

Já em setembro de 1996, uma surpresa positiva chegou aos fãs brasileiros... As irmãs vieram ao Brasil promover esse álbum e performaram no programa "Domingão do Faustão", cantando "Baby Boy".

Nessa fase do eurodance dos anos 90, o público brasileiro adorou conhecer esse estilo inteiramente novo, colorido e alegre chamado "Bubblegum dance". Aliás, as dinamarquesas foram umas das primeiras representantes desse subgênero, que simboliza as músicas fofinhas, super chicletes, com refrão fácil e vozes quase que infantis:


Me & My - "Baby Boy" 
(TV Show Faustão - 1996)

Como "nem jesus agradou à todos", é lógico que o Me & My também iria causar muita discórdia entre os críticos mais metidos da época... incluindo os fãs mais radicais do Eurodance, Techno, Trance e House Music, que não curtiram muito o subgênero Bubblegum Dance e viviam criticando (até hoje eles fazem isso, se você prestar atenção). 


Foto rara do Me & My no Brasil, mais precisamente no RJ

E mesmo com esse preconceito e incômodo por parte de alguns, a dupla causou um impacto bastante positivo nos anos 90, e apresentou excelentes resultados com essas características "bobinhas", "inocentes" e "infantis". A dupla alcançou excelentes vendagens no mundo todo... principalmente no Japão, onde venderam 1,5 milhão de álbuns e 750.000 singles (apenas em 1996)!! E elas ainda deram fôlego ao Aqua, Vengaboys, Cometz, Daze e tantos outros projetos que surgiriam depois, nessa mesma "pegada" bubblegum.

“Dub I Dub abriu portas, não só para nós, mas também para muitas outras bandas”, diz Pernille. “Tudo aconteceu tão rápido com o primeiro disco, que foi muito difícil perceber o que estava acontecendo. Por outro lado, nos deu um nome, um estilo e uma base para construirmos”.

"Sempre escrevemos sobre os nossos sentimentos, e é assim que essas nossas músicas saíram" (Pernille Georgi)


Me & My e alguns de seus reconhecimentos...

Além do mais, na primavera de 1997 elas foram premiadas com dois Discos de Ouro - pois tiveram o álbum internacional mais vendido do ano, e também foram as artistas estrangeiras mais vendidas no Japão. Teve até um single exclusivo distribuído aos japoneses, devido ao forte desempenho das canções do Me & My: "Touch Of Your Love"


OUTROS TRABALHOS QUE NÃO CHEGARAM NO BRASIL

Seu segundo álbum "Let The Love Go On" também foi bem recebido, e viu o lançamento de 4 singles: "Loving You", "So Many Men", "Every Single Day" e "Let The Love Go On" (que alcançou o 13º lugar em Israel). Infelizmente, o Brasil não demonstrou interesse em conhecer esses novos trabalhos da dupla, e aqui seu sucesso só ficou mesmo no álbum "Me & My" (1995).

O terceiro álbum, "Flying High", de 2001, teve menos sucesso comercial. Este novo disco trouxe uma capa que é pura referência ao filme "Top Gun", clássico de Tom Cruise de 1986. Entre as faixas, teve uma versão dance de "Sleeping My Day Away", da banda dinamarquesa de rock D-A-D, mas não foi muito bem recebida pelo público na época.

Depois de uma breve pausa, o Me & My colaborou com uma artista dinamarquesa chamada Nicole, em 2002, numa faixa latina / dance chamada "Te Quiero". Também passou despercebida em projeções mundiais.

Como já falamos aqui, elas foram muito bem nas paradas japonesas, então tinha que sair por lá uma compilação com algumas de suas músicas em versões remixes, e isso ocorreu em 1997: "Me & My ‎– Waiting (Álbum Remix vs. Karaokê)". 

Muitos artistas lançam músicas natalinas no decorrer de suas carreiras, e com o Me & My não foi diferente... Em 2007, elas produziram "Too Much Christmas" e lançaram-na em CD-Single.

Lançamento exclusivo no Japão: The Ultimate Collection

No mesmo ano de 2007, dez anos depois da primeira compilação, outra saía aos japoneses: "The Ultimate Collection" (uma espécie de Greatest Hits, com as melhores músicas dos 3 álbuns).

Lembram que, Susanne Georgi não pode participar do Eurovision 1991? Pois é, o mundo dá voltas, e em 2009 ela fez isso se apresentando como artista solo e cantando: "Get A Life / La Teva Decisió" (2009).

Já em 2016, retornaram com um novo som, e até então, último trabalho gravado em estúdio...Trata-se de "Two Are Stronger Than One" (apenas digitalmente).


DOWNLOAD

"Literalmente duas irmãs do barulho!"
"Contra-Indicado Pra Gente de Baixo-Astral"
Slogans de publicidade brasileira, início de 1996

Minha coleção pessoal do Me & My, em flac (sem perdas):

- CD single Me & My - "Dub I Dub" (1995)

- CD álbum "Me & My" (1995)


ME & MY ATUALMENTE

Pernille e Susanne atualmente

Atualmente, o Me & My ainda continua em atividades e realiza diversos shows pela Europa: "Felizmente o público e os organizadores de eventos sempre se lembram de nós, e por isso estamos sempre nesses festivais de revivals dos anos 90, além de diversas outras atrações" (Pernille Georgi)

Eu perguntei para Susanne Georgi, se ela ainda se lembra do Brasil, então ela disse:

"Rikardo Rocha como podemos nos esquecer de vocês? Povo bonito. Tivemos uma recepção tão calorosa no Brasil"

Na época, eu só vi registros das duas no Rio de Janeiro, então perguntei se estiveram também em São Paulo, aí ela confirmou que sim:

"Sim, nós também fomos para São Paulo… .quase quebramos o nosso avião no caminho para lá😳😂"

Me & My ... Para sempre...

E quem sabe, algum dia elas não voltam com uma Tour para o Brasil, né?... Eu sei que o público brasileiro é muito diferente dos europeus, e até de nossos vizinhos chilenos, peruanos... - que valorizam muito mais a cena Dance - , mas não custa nada sonhar com isso...



domingo, 2 de maio de 2021

ANDREW SIXTY ESTÁ DE VOLTA?

ANDREW SIXTY AGORA É ANDREW 60 E LANÇA A INÉDITA "DANCE WITH YOU" (2021)

ALGUÉM QUER CONTINUAR DANÇANDO COM VOCÊ

Ele sempre usou e abusou do rock clássico em suas versões "dance" na década de 90... Seu nome real é Andrea Alberghi e desde há muitos anos é fã dessas canções dos anos 60, principalmente do rei do rock Elvis Presley!

De vocal conhecidíssimo entre os fãs da ítalo dance dos anos 90, este italiano foi o vocalista do projeto Andrew Sixty e retorna agora à cena musical com sua nova música "Dance With You", que acaba de lançar no Itunes e Youtube.

Para quem não se lembra, o Andrew Sixty virou figurinha carimbada nas pistas com o hit "Oh Carol!", e saiu em algumas coletâneas da Paradoxx Music, em especial "As 7 Melhores Volume 2".


Andrea Alberghi no Brasil como "Andrew Sixty", incendiando o programa "Sabadão"

Quando tinha na bagagem já uma "penca" de hits, como "Oh Carol!", "You Got It", "Stand By Me" "Caterina", o Andrew Sixty aportou por nossas praias em 1995 e realizou shows que ferveram diversos clubs, como a Krypton Dance Planet (São Paulo), além de performances em diversos programas de TV, como o "Sabadão" (SBT).


Andrew Sixty no Brasil, 1995
Clique nas imagens para dar zoom 

Na nova música "Dance With You", lançada no dia 27 de abril, Andrea Alberghi quer continuar seguindo o seu chamado na área musical, mas não usando mais o nome antigo que o consagrou no eurodance - "Andrew Sixty" (provavelmente os direitos autorais devem pertencer aos seus antigos empresários...).


Andrew 60 - "Dance With You" (2021)

Ele teve a ideia de "renascer das cinzas" como Andrew 60 e trouxe este novo trabalho "Dance With You", que merece uma atenção dos fãs de sua voz, e de seu estilo único de cantar!

É um europop suave (nada de "bate-estaca" como antigamente), mas ainda assim dançante e gostosa de ouvir... Você sente que a música preza pela qualidade em suas melodias, arranjos, riffs (dando um tom de "disco music"), e claro, no romantismo que já era algo muito presente nos antigos hits do Andrew Sixty.

Simplesmente é muito bom escutar essa voz novamente!!

sexta-feira, 30 de abril de 2021

DR. DJ CERLA FEAT. BROWNSTONE - "EVERYBODY POM POM" (1994)

Quem não tocou ou dançou o mega-hit "Everybody Pom Pom", do italiano Dr. DJ Cerla? Digamos que essa é uma das faixas mais nostálgicas do ano de 1995, certo?
Pois então, atendendo a alguns pedidos (leitores JLC e Rodrigues Drano) resolvi escrever um pouco mais sobre este grande single, que fez o maior "barulho" nas pistas e rádios de todo o país...
Are you ready for the night? 


A TRAJETÓRIA DE DR. DJ CERLA E SEU HINO INESQUECÍVEL "EVERYBODY POM POM" (1994)
Edição e colagem das imagens: Rikardo Rocha

O artigo abaixo foi escrito por Rikardo Rocha, com base em sua coleta de informações e através de seus arquivos pessoais, contendo entrevista rara e bloqueada no Youtube; Charts de 1995 com as músicas mais tocadas nas rádios e clubs; legenda criada em português também por Rikardo Rocha em vídeo italiano (tradução realizada por seu amigo italiano Stefano Maiolo); troca de e-mails com o produtor Dr. DJ Cerla; vinhetas na voz do rapper de "Everybody Pom Pom" (retirados também de arquivos pessoais de Rikardo Rocha); entre outras exclusividades. 
 
Quer usufruir de nossos conteúdos em sua página, fórum ou canal? 
Faça-o, mas indique também o endereço do nosso blog aos amigos!! 
Valorize e respeite esse espaço, afinal esse Blog tem dono!!

Obrigado, e boa leitura!
Rikardo


Seu nome real é Gabriele Cerlini, nasceu na cidade italiana de Reggio Emilia, no dia 4 de setembro de 1970, e ainda muito jovem começou a ser fã de música, tendo como seus principais influenciadores a dupla de pop Wham!, Duran Duran, Michael Jackson, Freddie Mercury e Prince.
Com esse gosto melódico apuradíssimo, Cerlini logo seguiu o seu chamado na carreira musical, se tornando um DJ -  e posteriormente -  um dos mais ativos produtores da Dance Music europeia.

Tudo começou quando, simplesmente, ele notou uma certa movimentação num barracão e de curioso foi lá ver o que estava acontecendo. Quando entrou no local, Cerlini percebeu que estava sendo montada uma discoteca ali, e isso o fez perguntar: "Olá, vocês por acaso estão precisando de um DJ?", e alguém lhe respondeu: "Sim, mas só que aqui não queremos House ou Techno!". 
Basicamente então o jovem viu-se numa encruzilhada pois ele só tinha discos de house e techno, mas mesmo assim agarrou imediatamente essa oportunidade porque ele queria, mais que profundamente, começar como DJ... 
E assim o fez, tocando clássicos dos anos 70, Funky e Acid Jazz.


Gabriele Cerlini em 1990, aos 19 anos de idade
"Pela primeira vez como DJ no Micmac! Lá atrás estão os meus discos, mas como eu não tinha dinheiro para comprar um case de verdade, eu os transportava em uma caixa de papelão"
Crédito da foto: Facebook de Dr. DJ Cerla


Cerlini depois tocou em outros clubs, como CenerentolaAdrenaline e Fonderia Otalghisa, lugares que orgulhosamente ele afirma "eram os meus lares nos anos 90". Já o seu conhecidíssimo nome artístico "Dr. DJ Cerla", ele recebeu carinhosamente em 1991 através de um DJ de Milão, numa destas suas apresentações em que já se destacava como DJ. 
Mas quando Cerla comprou o seu primeiro sampler (um Ensoniq EPS-16), também em 1991, começou então a escrever a sua história nas páginas da Dance Music como produtor de ítalodance.
 
O tal equipamento custou uma "fortuna" para Gabriele Cerlini, e foram pagos "dolorosamente" em várias prestações mensais, sem falar que tinha apenas 4 megabytes de memória, mas foi graças a esta relíquia que ele começou fazer os seus primeiros remixes e a ganhar grandes destaques, inclusive, conseguiu chamar a atenção de Daniele Davoli, o produtor do lendário Black Box e um dos pioneiros da House Music italiana. 

=O primeiro sampler de Dr. DJ Cerla
=Dr. DJ Cerla e Daniele Davoli fazendo chapéus com capas de vinis
Crédito das fotos: Facebook de Dr. DJ Cerla 


Em 1992, Cerlini ganhou sinal verde para a produção de seu 1º single, e ele define esse dia como o dia mais feliz de sua vida. Tão logo, em 1993, o "doutor" da italodance entrava pela primeira vez nas paradas internacionais com "Rotterdam '93", já considerado um clássico das discotecas. 
Creio que os fãs de "Everybody Pom Pom" conseguem sacar rapidamente que se trata de uma produção de Dr. DJ Cerla, pois analisando agora por um outro ângulo, a sua base instrumental parece que serviu como um embrião para o hit que estourou aqui em 1995:

Dr. DJ Cerla - "Rotterdam '93" (1993)

Praticamente estamos ouvindo "Everybody Pom Pom" dando os seus primeiros passos em "Rotterdam  '93", mas os vocais masculinos... ah, esses são bem diferentes e não apresentam a mesma energia harmoniosa que está no single de 1994. Esses vocais, a propósito, foram sampleados da música do alemão DJ Hooligan - "B.O.T.T.R.O.P." (1993).

Com o passar dos anos, Gabriele Cerlini também se tornou conhecido como Alter Ego e Floorfilla, mas o seu apelido mais famoso nesse início de anos 90 realmente era Dr. DJ Cerla
Depois o italiano lançou seu 2º single, o techno "Mi Boca" (1993), que traz os curtos vocais de Mad Bob, além de samples que também foram aproveitados na explosiva "Turn Me On" (1994) do projeto Manico

1994 foi um ano muito importante para Gabriele Cerlini, pois ele remixou para vários artistas e também realizou alguns trabalhos pessoais, alternando com seus dois pseudônimos: Dr. DJ Cerla e Alter Ego. Foi aí que nasceu dois de seus mais vibrantes singles: "Everybody Pom Pom" - Dr. DJ Cerla Feat. Brownstone e "Dance (If You Cannot)" - Alter Ego. Feat. Daisy Dee.


Alter Ego feat. Daisy Dee - "Dance (If You Cannot)" (1994)


A vocalista de "Dance (If You Cannot)" é a holandesa Desiree Rollocks (Daisy Dee), nascida em 4 de setembro de 1970 e que mora há muitos anos na Alemanha. Ela foi casada com Toni Cottura, rapper do grupo Fun Factory, que você, leitor desse humilde blog, também deve conhecer.... 

Em 1995, aos meus ingênuos 14 anos de idade, eu "viajava" demais ouvindo este som e até o tinha gravado numa fita K7 (e a ouvia incansavelmente). E vejam só, nessa época eu achava que era um cantor masculino que a cantava...  que inocente! 

Você pode encontrar esse fantástico som na coletânea “Hot Nine Seven Vol. 2”, que também traz Tatjana - “Santa Maria”, B.A.R. feat. Roxy - “Come Together”, Nicki French - “Did You Ever Really Love Me”, Whigfield- “Sexy Eyes”, Penelope- “Take A Chance”, além de outras tracks sensacionais que também faziam presença nas minhas queridas K7s da época...


Crédito da imagem: Facebook de Dr. DJ Cerla
Dr. DJ Cerla agitando as noites da Itália

Assim como "Everybody Pom Pom", "Dance (If You Cannot)" foi lançada inicialmente na Itália em 1994 e distribuída mundialmente apenas em 1995... E mesmo depois de mais 25 anos, essa música ainda continua deliciosa para dançar; e encantando com seus mágicos atrativos e notáveis referências.
Para começar, a voz remixada do início me lembra um outro vocal clássico remixado, o de "Space Cowboy" -  Jamiroquai (no remix de David Moralles). Depois entra uma base maravilhosa que conduz muito bem as fortes batidas com o super vocal de Daisy Dee... aliás, ela faz um rap de qualidade que nos remete muito ao Technotronic!!!
Coincidência ou não, Daisy Dee foi backing vocal do Technotronic no ano seguinte, e gravou "Move It (To The Rhythm)" (1995).

E se você tiver acesso ao single de "Dance (If You Cannot)" irá observar que contem ainda um remix de Two Men, que é ninguém mais que Davide Riva (um dos produtores de Whigfield) com DJ Benny, que pra quem não sabe, se tornaria famoso mundialmente como Benny Benassi -  Você se lembra do mega-hit Satisfaction" (2003)?

Sobre a vocalista Daisy Dee, um outro single lindo dela que indico é "Fly Away" (feat. Starsplash), de 2004. Vale a pena redescobrir essa outra grande jóia em sua estupenda voz!!!

Gabriele Cerlini e Daisy Dee arrebentaram com "Dance (If You Cannot)", single lançado pelo selo Heavy Records, que distribuiu também "Everybody Pom Pom".


Antes de realizar essa parceria com Daisy Dee, Gabriele Cerlini já admirava o talento da vocalista, e em 1990 dançava a sua música "Crazy", época que foi lançada nas pistas de dança:
“Daisy nasceu exatamente no mesmo dia, mês, ano e hora que eu nasci, e por um conjunto de circunstâncias incríveis nos conhecemos e fizemos 'Dance (If You Cannot)' em 1994, mas em 1990, quando eu dançava a sua música 'Crazy' eu não sabia de todas essas coincidências nos envolvendo". (Facebook de Dr. DJ Cerla)

"Everybody Pom Pom" e "Dance (If You Cannot)" tomaram de assalto as pistas de dança e rádios brasileiras no ano de 1995, mas Gabriele Cerlini não parou por aí e ainda engatou trabalhos importantes com outros artistas, como Rednex (remixando com seu grande colega Elvio Moratto a faixa "Old Pop in an Oak" - "DJ Cerla + Moratto Remix"), Lucio Dalla, Adriano Celentano, Fiorello (prestem atenção na música "E Tu" que está no CD "TV Dance Vol.2", é um remix dele! Imperdível e uma das melhores faixas dessa compilação!), Underground Goodies, KK, e etc. 

Após a estes hits, houve ainda outros lançamentos cantados pela vocalista Joanne Sylvia Smith, mas que infelizmente não se tornaram populares aqui no Brasil:

-DJ Cerla & Moratto feat. Jo Smith - "Wonder" (1995)
Sucesso nas paradas italianas e com samples de um clássico de 1971: Tony Ronald - "Help (Get me some Help)".
-DJ Cerla feat. Jo Smith - "Because!" (1995)
Além da parceria com Jo Smith nos vocais, esse single traz também a participação da dupla que deu vida ao mega sucesso de Playahitty - "The Summer Is Magic" (1994): Stefano Carrara e Emanuele Asti. 
Em 1997, Dr. DJ Cerla voltou com "The DJ (It's Saturday Night)", mas infelizmente não repetiu aqui no Brasil a mesma popularidade de "Everybody Pom Pom".

Crédito da imagem: Recorte de arquivo pessoal (Rikardo Rocha)
O single foi indicado na coluna "Dance Floor" da revista DJ Sound e definido (por DJ Pelé) como "um autêntico italo-dance". A faixa também entrou em algumas coletâneas da Paradoxx Music como a ótima "Hot Nine Seven Vol. 6"


Já em 1998, Gabriele Cerlini firmou uma parceria com o músico e dançarino africano Bale Mondonga, onde passou a assinar como Floorfilla, e alcançando o topo dos clubs europeus com as bombásticas "Anthem #1" e "Anthem #2", num estilo mais puxado para o Trance Progressive.
Com o nome artístico de “Dr DJ Cerla”, Cerlini trabalhou novamente com a cantora Jo Smith: Dr. DJ Cerla vs. Jo Smith - "Crazy 4 Love" (1998).

Seguidamente veio "Anthem #3", que também foi hit no Brasil e integrou diversas coletâneas da Paradoxx Music:

Floorfilla - "Anthem #3" (1999)

É importante salientar que, um dos CDs que ajudou a popularizar essa faixa aqui no nosso país foi "Celso Portiolli Faz a Festa Vol.2" (Paradoxx Music), que também tinha outros dance-hits de 1999/2000, como Gigi D'Agostino, Kosheen, Fragma, Zombienation, e etc. 

Ah, talvez os mais jovens não irão se lembrar, mas "Anthem #3" tem um sample "emprestado" de um velho clássico das noites: The Jocker's - "Cowboy" (1993):


The Joker's - "Cowboy" (1993)


Depois de 4 inacreditáveis músicas com o título de "Anthem": "Anthem #1""Anthem #2""Anthem #3" e "Anthem #4", em 2000 tivemos o single de "Technoromance", que é uma das minhas faixas favoritas do Floorfilla!! 
Tocou muito nas boates, na rádio Energia 97 FM e também em vários programas de mixagens, como o "Na Balada" da Jovem Pan. 

A vocalista desse single está com a voz perceptivelmente alterada (com um efeito vocoder), e segundo Bale Mondonga (que aparece no vídeo dançando), ela era muito tímida na época:

Gabriele Cerlini e Bale Mondonga são o Floorfilla
Crédito da foto: Facebook de Bale Mondonga


"'Technoromance' fica cada vez melhor com o tempo 😉. Sasha, a garota do vídeo não é a vocalista real; a verdadeira vocalista não aparece, ela é uma menina muito tímida da Itália. Este vídeo foi filmado no norte da Alemanha, em 2003. Uma curiosidade, é que a mesma bateria 'breakbeat' que está em 'Technoromance' foi usada dois anos depois pela dupla do The Chemical Brothers, na música 'Push the Button'. Sobre o som do vocoder, é de um sintetizador Novation Nova, também usado em 'Anthem #4'; que alterou os vocais em toda a faixa." 
- Bale Mondonga (em sua página no Facebook)


Floorfilla - "Technoromance" (2000)
Sinceramente eu prefiro a versão que está no álbum do Floorfilla (e também nas coletâneas da Paradoxx Music), mas essa versão no vídeo também é boa... 
Você poderá encontrar essa canção na coletânea "Lunch Break Summer Edition - Energia 97 FM"


Gabriele Cerlini continua na ativa até hoje, e embora tenha se dedicado mais ao Floorfilla, ele também lançou mais outros singles sob o nome de "Dr. DJ Cerla", como: "Sahara Rave" (2001), "Yo DJ" (2002) e "Sexy Girl" (2006).
O "nostro italiano" se formou em Ciências da Comunicação (em 2008) e continua tocando nas noites da Europa, além de produzir seus mais recentes singles como "Just Another Night" (2014),"One Heart" (2015) e "Ça Va" (2018), este último disponibilizado comercialmente em janeiro de 2019. 

Veja uma foto atual de Gabriele Cerlini, que está atualmente com quase 51 anos de idade e ainda morando em sua cidade natal - Reggio Emilia:


Crédito da imagem: Facebook de Dr. DJ Cerla
Um dos mestres do Italodance: Gabriele Cerlini, em foto de março de 2021 
Ele continua em atividades!



A HISTÓRIA DE DR. DJ CERLA -
"EVERYBODY POM POM" (1994)
CONTADA PELO BLOG RIKARDO.MUSIC

Crédito das imagens: Facebook de Dr. DJ Cerla
Dr. DJ Cerla (Logotipo de 1995) / Capa de revista com a equipe do Club Adrenaline (out/1994)

Apesar de lançar vários singles sob o título de anthem (que significa hino), o maior hino desse cara (na minha humilde opinião) sempre será "Everybody Pom Pom", que foi muito tocado nas noites brasileiras, além de ter sido bem popular em várias rádios.

Esse legítimo italodance foi lançado na Itália em 1994, pelo selo Heavy Records (que apoiou Dr. DJ Cerla até 1997), e licenciado em 1995 aqui no Brasil pela saudosa Paradoxx Music... que não perdeu tempo e distribuiu a dançante faixa em algumas compilações clássicas, como "As 7 Melhores Vol.3", "FM Dance Force" e "Difusora FM Balança Ribeirão".


Dr. DJ Cerla - "Everybody Pom Pom" (1994)
Tradução em Português: André Santos
Ouça a música e entenda a sua letra!

"Everybody Pom Pom" sem dúvidas foi um grande sucesso, mas infelizmente existem poucas informações sobre esse single pelos websites... E misteriosamente, Gabriele Cerlini nunca menciona a referida canção em suas páginas pessoais...

Cerlini deve ter outras músicas mais memoráveis que essa (na Europa), mas aqui, simplesmente foi a sua música mais tocada nas FM's, incluindo a Jovem Pan Sat - a maior rede de rádios do país. 
Por exemplo, em junho de 1995, assumiu o #1 da Jovem Pan num TOP 30 disputadíssimo. Já nos clubs também foi um dos grandes hits, chegando a atingir o #4 das músicas mais tocadas nas noites (em julho / 1995):

Crédito da imagem: Recorte de revista pessoal (Rikardo Rocha)
Em junho de 1995, "Everybody Pom Pom" foi a música mais tocada na Jovem Pan. Em julho continuava no topo, mas também subia nos charts dos clubs de São Paulo.

Muitos brasileiros (como eu) sentem um carinho especial por "Everybody Pom Pom" pois essa é uma das faixas que nos conectam a situações, a pessoas, a sabores, a uma época... de maneira eficiente e acalentada. É uma obra que transmite sensações mágicas e únicas através de sua construção harmoniosa, de seus loops empolgantes e de seu belo vocal feminino...  e que vocal!! Uma voz que toca incrivelmente na alma do ouvinte, como poucas vozes conseguem fazer!!!!!!

Eu me recordo que, na escola - em setembro de 1995 - , os professores fizeram uma gincana envolvendo os alunos, então tivemos várias apresentações teatrais e algumas performances musicais. Dentre as diversas músicas apresentadas em shows de dublagens e coreografias, estavam "Cotton Eye Joe" de Rednex (minha classe performou essa canção), "Sexy Eyes" de Whigfield"1,2,3" de Playahitty, e "Everybody Pom Pom" de Dr. DJ Cerla; sendo que essa última rendeu o prêmio máximo ao grupo de colegiais que dançavam com alguns poms poms. 

“Everybody Pom Pom”, com certeza, foi um marco da italodance e também da geração que viveu e foi feliz nos anos 90!!


A PRODUÇÃO, A INSPIRAÇÃO E A VOCALISTA DE "EVERYBODY POM POM"
Os elaboradores do hit - "Everybody Pom Pom" (1994)

Assim como muitos singles de Dr. DJ Cerla - que beberam na fonte de outras produções e se inspiraram em samples, melodias e vocais -, "Everybody Pom Pom" também foi muito influenciada por uma outra importante canção...
Eu me lembro que, em 1997, época em que eu trabalhava com meu pai, ouvi uma música na estação de rádio Antena 1 que me fez ficar com a pulga atrás da orelha... Era "Sister Gonden Hair" do grupo britânico America, que tem a mesmíssima melodia de "Everybody Pom Pom", e isso me deixou muito confuso na época pois a letra era diferente. "Seria um plágio?" Pensei comigo...

Não sei se houve algum acordo com a banda, mas Dr. DJ Cerla realmente produziu "Everybody Pom Pom" utilizando da mesma melodia criada por America - "Sister Golden Hair, que é uma canção original de 1975. 

Ouça-a:

America - "Sister Gonden Hair" (1975)
Tradução: Marcelo Fernandez

Apesar de ter a mesma melodia, a letra mudou na música de Dr. DJ Cerla, e o autor de "Everybody Pom Pom" é o próprio Gabriele Cerlini (Dr. DJ Cerla).
Os arranjos também foram feitos por Gabriele Cerlini, mas ele contou ainda com a ajuda de Mirko Limoni, do Black Box. 

Quanto a mixagem do single, este ficou a cargo de um outro ícone do eurodance, Fulvio Zafret, que trabalhou em inúmeras produções fantásticas, como Afrika Bambaataa - "Feel The Vibe" (1994), e apresentava a sua esposa Silvia Zafret nos vocais de seus variados projetos (incluindo o hit "Feel The Vibe").
Aliás, Afrika Bambaataa quando repete o verso "Feel the vibe, everybody come alive" nos traz uma energia similar com a do rapper de "Everybody Pom Pom", não acham? (apesar das vozes serem diferentes) 
Talvez seja a tendência da época, ou a influência de Fulvio Zafret...


Afrika Bambaataa- "Feel The Vibe" (1994)

-Nos vocais femininos: Silvia Zafret (ela não aparece na apresentação acima)
-Rap principal: Seria Afrika Bambaataa (mas não há provas de que seja realmente a voz dele)
-2º Rap: Neil Antone Dyer, rapper que continua na ativa e que gravou com Fulvio Zafret em muitos singles (não é ele que aparece na apresentação acima, temos no vídeo apenas um "alguém" provisório).

Dr. DJ Cerla gostava de inserir agradecimentos em seus discos, então em "Everybody Pom Pom" tem uma dedicatória para "Masterfreez, Otierre, 66 Records e às pessoas do 'Adrenaline' por suas energias!"
Otierre é um grupo de hip-hop e Masterfreez é um DJ e rapper (ambos italianos), então isso faz com que raciocinemos que algum desses seja o responsável pelo refrão masculino de "Everybody Pom Pom", certo? Mas não... Dr. DJ Cerla diz que esses eram apenas amigos, e ainda ressalta que adorava tocar as músicas de Otierre na pista de dança, e que até foi jantar uma vez na casa de um dos membros. E se você escutar as vozes desses artistas, sente também uma voz diferente, nenhuma parece ser "a voz do refrão".


O RAPPER DE "EVERYBODY POM POM"
Um fato curioso, é que muitos de nós pensávamos que o "feat. Brownstone" do título estivesse relacionado a um nome fantasia da cantora, mas na realidade, esse Brownstone se refere ao rapper que faz o refrão da música (!!). 
Eu perguntei à Dr. DJ Cerla, a respeito do rapper, e então ele respondeu:


"Olá, ele era um rapper chamado Brownstone, dos EUA, mas naquele momento ele estava radicado na Itália, então ele foi ao nosso estúdio gravar
-Cerla

Provavelmente este deve ter sido apenas um pseudônimo do artista para "Everybody Pom Pom", pois se você procurar por outras músicas do rapper "Brownstone", nada irá encontrar com este nome (além de um grupo feminino de R&B).

Brownstone ainda trabalhou com Dr. DJ Cerla em algumas vinhetas de mixagens, além da faixa "Everybody Pom Pom" (1994). Eu tenho em meu HD vários megamixes de Dr. DJ Cerla, e consta essa voz "ragga" em alguns trechos nesses megamixes... Ouça alguns desses áudios, retirados de meus arquivos pessoais e mesclados no vídeo abaixo:

Brownstone - Vinhetas (1994 - 1995)
Crédito do vídeo: Rikardo Rocha



A RELAÇÃO DE DR. DJ CERLA
 COM A VOCALISTA...

Crédito do vídeo e legenda: Rikardo Rocha
Tradução: Stefano Maiolo
Dr. DJ Cerla foi entrevistado por Dino Brown, em 2017, na radio italiana M2O.
Essa entrevista não está mais disponível no Youtube, mas resgatei de meus arquivos pessoais e selecionei o trecho onde ele diz sobre a cantora de "Everybody Pom Pom".
A legenda também foi inserida por mim, com base na tradução feita pelo amigo italiano Stefano Maiolo.

Existem muitas especulações em torno da real vocalista de "Everybody Pom Pom", então, com o vídeo acima eu quis trazer alguma materialidade e aniquilar todas as dúvidas possíveis dos fãs de Dance Music. E pasmem, alguns pensam que a cantora é a brasileira Patricia Marx (!). Sim, vários leitores deste Blog já me questionaram se é verdade que a ex-Trem da Alegria é a dona desses belos vocais... e sinceramente, não sei de onde tiraram essa informação.
A vocalista é Dora Nicolosi (cantora do Novecento), mas ao mesmo tempo ninguém tem nenhuma prova sobre ser ela realmente... Você pode procurar em todos os fóruns, blogs, sites... apenas encontrará anônimos citando e repetindo os mesmos dados ao longo dos últimos 20 anos, então o vídeo acima coloca fim a qualquer dúvida ou especulação. 


Novecento - "Movin' On" (1984)
O primeiro grande sucesso na voz de Dora


A verdade é que Dr. DJ Cerla sempre foi fã de Dora Nicolosi, então ele escreveu a letra de "Everybody Pom Pom" e considerou que Dora fosse a pessoa perfeita para interpretá-la, e foi fazer o convite à estrela da italo disco.
Dora no início recusou, pois estava de viagem marcada para Rimini e não poderia ir ao estúdio de Dr. DJ Cerla, que ficava em Reggio Emilia. Porém... ele conseguiu convencê-la.

Então Dora se dirigiu até ao estúdio para fazer a gravação de seus vocais, para depois, prosseguir com sua viagem. Dora chegou e gravou "Everybody Pom Pom", tudo muito rápido, enquanto que seu filho e marido ficaram aguardando dentro do carro. 
Após ao término do procedimento, Dora seguiu a viagem planejada com sua família, enquanto que Dr. DJ Cerla ficou em Reggio Emilia, realizado e felizão com o que conseguira.


Dora Nicolosi gravou no estúdio com Dr. DJ Cerla: Em uma hora a música estava pronta

Obs.: Esse vídeo de Dino Brow com Dr. DJ Cerla não está mais disponível no Youtube (talvez devido aos direitos autorais das músicas apresentadas). A legenda eu criei para que os leitores pudessem ter total acesso à esse incrível momento: um pouco do nascimento de "Everybody Pom Pom". 

Eu disse também à Dr. DJ Cerla que essa música foi muito bem no Brasil, que é muito popular entre os fãs de Eurodance até hoje, e ainda mostrei os gráficos com a música atingindo o topo das paradas, e mediante a essa situação ele informou que não sabia sobre esses feitos no Brasil:

"Todas essas coisas, eu realmente não sabia!
Obrigado por esta informação e por suas amáveis ​​palavras 😊
Quem sabe um dia estarei em turnê por aí"

E se vocês prestarem atenção nos segundos finais do vídeo acima, verão que Dr. DJ Cerla enfatiza que o single "foi forte" mesmo no Reino Unido. Mas agora ele sabe que... "Everybody Pom Pom" foi muito bem aqui no Brasil também!!


OUTRAS CURIOSIDADES
-"Everybody Pom Pom" ganhou ainda uma versão cover pela Reflex Records, em 1996, chamada: Nyed - "Everybody Pom Pom" (Produtor: Marco Nieddu). Acho interessante conhecer versões diferentes de alguns clássicos, é uma oportunidade a mais de conhecer a música sob um outro olhar, numa outra perspectiva, depois de mais de 25 anos de lançamento:

Nyed - "Everybody Pom Pom" (1996)

-Em 2002 foi a vez da música ganhar uma nova roupagem, mas desta vez feita pelo Floorfilla e sendo uma regravação direta de "Sister Golden Hair" (America):

Floorfilla - "Sister Golden Hair" (2002)



A HORA DA DORA
-DORA NICOLOSI-
Dora Nicolosi ou Carofiglio?

Dora Carofiglio, nascida em Milão em 15 de setembro de 1964, é uma cantora italiana que se tornou uma das vozes mais predominantes da Italo Disco dos anos 80. Talvez você não esteja ligando o nome à artista, mas certamente conhece alguns clássicos das discotecas em sua incisiva, tocante e poderosa voz, como "Day and Night""Movin' On" ou a própria "Everybody Pom Pom" 
Sua carreira profissional começou em 1981, quando Dora foi backing vocal para Giangilberto Monti, no álbum "E Domani?"
Já o começo do Novecento ocorreu em 1979, quando foi fundado pelo trio de irmãos Pino Nicolosi, Lino Nicolosi e Rossana Nicolosi, que tocam piano, violão e baixo respectivamente, no entanto, é absolutamente imprescindível citar que nessa época o grupo se chamava "Divieto do Sosta" (seria em português "Proibido Estacionar"), e logo com a entrada de Dora Carofiglio, eles gravaram um EP que passou despercebido:

O primeiro registro da família Nicolosi, quando ainda eram o grupo "Divieto Di Sosta" (em 1981) 


Como vimos no vídeo de Dino Brown, o Novecento lançou o seu primeiro grande hit "Movin' On" em 1984, porém, a vocalista também emprestava o seu talento vocal para inúmeros outros produtos da ítalo disco, como o famoso Valerie Dore.
Na verdade, foram muitos os projetos com a voz de Dora, pois os integrantes do Novecento se dedicaram à produção e arranjos de diversas faixas dançantes da Itália...e a voz encantadora de Dora sempre estava nessas músicas!

Valerie Dore - "The Night" (1984)
As batidas e instrumentais lembram Gazebo - "Like A Chopin" (1983)... 

Sobre a farsa do Valerie Dore, isso era muito habitual na italo disco, e ocorreu também em muitos outros projetos contemporâneos, como Baltimora, Den Harrow, Fun Fun...e continuou ainda na eurodance dos anos 90, como já vimos muito aqui no Blog. Um caso semelhante - e que certamente vale a pena relembrar - é o do Randy Bush, um projeto dance dos anos 90 e que teve a produção de Lino Nicolosi. O integrante do Novecento apresentava ao público a charmosa modelo Patrizia Cavaliere, porém, havia uma cantora escondida nos estúdios gravando com a sua voz real... No caso de Valerie Dore, a modelo era Monica Stucchi (nascida em 28 de maio de 1963), enquanto que Dora Carofiglio era a verdadeira voz. Monica, inclusive, tinha uma pose meio "Kate Bush" em suas performances... e isso encantou as pessoas na época, contudo, o seu talento vocal não condizia com a chocante realidade...

Valerie Dore - "Get Closer" (1984)

Através da gravadora Merak Music foi lançado o primeiro single do Valerie Dore, “The Night”, que alcançou um considerável sucesso em toda a Europa; posteriormente, dois outros singles importantes foram lançados: "Get Closer" (1984) e "It's So Easy" (1985). Todos estes singles foram gravados no estúdio com a lindíssima voz de Dora Carofiglio. Já a partir de 1986, com o lançamento do álbum "Legend", algumas pessoas afirmam que a própria Monica Stucchi passou a dar voz às canções, mas rumores apontam que a farsa continuou, e quem cantava agora era uma outra espetacular voz da italo disco: Simona Zanini (Radiorama, Martinelli...).

Valerie Dore - "It's So Easy" (1985)
Não se deixe enganar com a moça do vídeo, pois ela apenas dublava, a voz real é de Dora Carofiglio...

Outra celebridade suspeita de realizar essa mesma prática foi a bela Alba Parietti, apresentadora famosa de televisão que resolveu - da noite para o dia -  embarcar no mundo da música, e estreou como a "cantora" de "Only Music Survives" (1985), sendo uma outra febre da ítalo dos anos 80... mas, a dona da voz da versão estúdio é indubitavelmente Dora Carofiglio; ela quem emprestou a sua tão requisitada voz para a faixa. Não existem evidências sobre o caso, contudo, analisem só as surpreendentes coincidências:

-O single "Only Music Survives" (1985) é da Merak Music, a mesma gravadora do Novecento;
-A produção, arranjos e composição também são de Dora Carofiglio, Lino Nicolosi e Pino Nicolosi, ou seja: o Novecento;
-A linda e sensualíssima Alba lançou outras canções após a boa repercussão dessa sua estreia, mas perceba que passou a ser uma outra voz nas músicas. O time do Novecento só produziu “Only Music Survives”, eles não se envolveram nos singles seguintes de Alba, e coincidentemente a voz também muda. Ouça “Dangerous”, por exemplo;
- A voz é muitíssimo semelhante com a de Dora Carofiglio somente em “Only Music Survives”, e coincidentemente é a faixa que Dora compôs e produziu com Lino e Pino Nicolosi. Se Alba é cantora em alguma das músicas seguintes, eu não sei, mas aqui é absolutamente Dora Carofiglio cantando;
-Existe um vídeo em que Alba canta essa música num programa de TV francês, e ela inicia ao vivo! Não canta mal, mas claramente não atinge as notas mais altas, e o playback de fundo -  na voz original de Dora -  “salva” a sua apresentação. Nesse momento fica perceptível que Alba tem uma voz bem diferente da gravação, ou seja, não gravou a faixa no estúdio.

Alba - "The Only Music Survives" (1985)
Me engana que eu gosto...

Uma outra invenção estratégica é o projeto de uma música só: Angie Care. Bom, mas vamos começar com o que eles queriam que você acreditasse...
Segundo algumas biografias curtas, amadoras e inconfiáveis de Dora, ela tem uma irmã chamada Angela Carofiglio, que também é cantora e gravou, sob o nome de Angie Care, o single "Your Mind" (1984). 

Tá, mas aí eu te pergunto: Devemos acreditar nessa outra história? 
Gente, estamos falando aqui do povo italiano!!!
O fato é que nada sabemos sobre a veracidade disso, e talvez (minha opinião aqui) não passou de mais um projeto fake para continuar vendendo discos na voz de Dora, pois o vocal era sempre o mesmo. Para entender melhor esse raciocínio, considere que a família Nicolosi esteve envolvida totalmente nessa produção, assim como também esteve em vários outros produtos "sem rostos". Se "Angela" realmente era uma cantora em 1984, por onde anda atualmente?? Por que sumiu? Ela não gravou mais? Nunca escreveu para nenhum artista? Não foi creditada em nenhum disco, nesses últimos 40 anos? Por qual circunstância não se aventurou em nenhuma música do Novecento??? 

A única certeza que temos é que a voz de Dora era vista como única e deslumbrante, e muitas vezes citada como um "milagre da natureza". Então, os músicos queriam aproveitar totalmente desse instrumento, num número máximo de gravações possíveis... Ou seja, nada muito diferente do que já era feito por lá com muitos outros vocalistas da época (Cristina Dori, Tom Hooker, Antonella Pepe...).


Modelos ou cantoras? Quem eram, afinal, essas madames misteriosas nas capas dos discos??

Continuando com esse entendimento, creio que a cantora "Angie Care" nunca existiu; Até em seu único single tem uma dedicatória ao Novecento e ao Valerie Dore, mas nenhuma menção sobre a identidade de "Angie Care". Basicamente, mais um produto fictício da italo disco que usava da voz suave, firme e inimitável de Dora Carofiglio (creditada no disco como "backing vocal").

O estilo de "Your Mind"  é idêntico ao de Valerie Dore - cantado por Dora Carofiglio e que gravou também num outro projeto chamado Angie - "Clouds" (quanta coincidência). Sobre a qualidade dessas músicas de Valerie Dore, Angie, Angie Care, Alba, Novecento... todas são ótimas, super envolventes e possuem uma vibe de puro encantamento; características típicas dessas produções da italo disco.

E para finalizar, a moça do vídeo abaixo seria a nossa citada e enigmática Angela Carofiglio, interpretando o charme retrô "Your Mind" num programa de TV.  Mas, vocês acham mesmo que ela é uma irmã - cantora de Dora Carofiglio? Deixo essa com vocês... (mesmo já sabendo a resposta)

Angie Care - "Your Mind" (1984)
Mais uma música cantada por Dora Carofiglio, mas representada por uma modelo

No Novecento, único grupo onde Dora mostrava o seu rosto, ela estava sempre muito atarefada e conquistando a crítica especializada com sua fascinante voz. Em 1984, eles venceram o prêmio de "Grupo Revelação" no programa de TV "Azzurro", graças ao 1º sucesso "Movin' On".
Também em 1984, foi lançada a faixa "The Only One", uma outra grande canção. Simultaneamente sai também o álbum de estreia: "Novecento".
Em 1986, a música "Excessive Love" foi um dos grandes êxitos na carreira do grupo, e usada até mesmo em comerciais de TV. Essa segunda metade dos anos 80, foi o auge do Novecento e o quarteto realizou vários shows, programas de TV, rádio, e se consolidaram também no exterior. O álbum "Dreamland" chegou em 1986, enquanto que "Shine" (o 3º álbum) em 1988.


Dora com os irmãos Nicolosi: 
Eles formaram o Novecento e produziram também muitos projetos...

O Valerie Dore lançou apenas um álbum ("Legend", 1986), porém foi bem aceito em diversos países, além de que seus singles foram muito bem em todos os charts... então esses resultados positivos foram suficientes para transformar o Valerie Dore num grande sucesso, nível Den Harrow, Ken Laszlo, Fun Fun, Miko Mission, entre outros artistas importantes da cena ítalo 80. 
Somando as vendas dos discos do Novecento e Valerie Dore, podemos dizer que o Novecento teve uma expressiva vendagem em todo o mundo, e tudo isso graças ao talento do grupo, e claro, principalmente à uma das mais belas vozes da Europa, e que contribuiu brilhantemente em fazer da Itália... o berço da música das discotecas!!

E por falar em discotecas, muitas pessoas dançaram as músicas abaixo sem saber que possuem também os vocais de Dora Carofiglio:

Klaudia - "For Your Love", 1982
China Town - "Bette Davis Eyes",1983 (Ela parece cantar aqui como Kate Bush, talvez um pedido do produtor?)
Joe Yellow - "Lover To Lover",1983 (Backing vocal)
Amnesie e Nicolosi - "Turas",1983
Cockroach - "Get Back",1983
The Gongs Gang - "Gimme Your Love", 1983
Good Reasons - "The Hustle", 1984
Domina - "You Got My Soul", 1984
Ranko - "Happy World", 1984
Nico Band - Let It Show, 1984
Jet Set - "Love Dance", 1984
Answering Service - "Call Me Mr Telephone", 1984
Funky Family - "Funky Is On", 1984
Shirley Ross - "If You Leave Me Now", 1984
P.R.D. - "I Want To?", 1984
The Voyagers -  Distant Planet (Versão Vocal) 1984 (A voz dela está com um efeito, a rotação parece mais lenta)
South Of Town - "Can't Get Enough", 1986
Além de muitas outras...

Quanto ao sobrenome "Carofiglio" de Dora, ele mudou para "Nicolosi" quando a cantora se casou com Lino Nicolosi (eles estão casados e trabalhando juntos até os dias atuais). 

METAMORFOSE DE DORA:
DA ITALO DISCO PARA O ITALO DANCE
Uma das artistas da Itália que mais deu voz às músicas das discotecas
Crédito da foto: Facebook de Stefbio Stefbio

Dora Nicolosi sempre colaborou com paixão e dedicação ao grupo Novecento, porém, na virada da década de 80 para 90, ela também levou a sua voz para diversos produtos da gravadora de Dance Music de Severo Lombardoni, a lendária Discomagic.
Na verdade, seu marido - Lino Nicolosi, foi designado para produzir muitos remixes de canções pop famosas na Discomagic Records, e obviamente, Dora era a voz por trás dessas versões. 
Muitas dessas faixas são bem dançantes, outras trazem uma batida mais cadenciada (funcionam mais como baladinhas românticas), algumas abusam mais de elementos da new age... e conforme os anos foram se passando, tivemos ainda faixas no estilo "euro-ragga". 
Vejam abaixo, um pequeno resumo desses lançamentos com a voz de Dora:


DISCOMAGIC E NICOLOSI PRODUCTIONS
Dora sempre foi uma mulher discreta, e essa sua característica combinava com esse estilo de gravação, pois, com a exceção do Novecento, ela nunca mostrava o rosto nesses projetos musicais... Era basicamente uma cantora freelancer:

-Um desses primeiros trabalhos na Discomagic foi Jasmine - "Running Down", de 1989. Dora Nicolosi, com toda a sua versatilidade cantou essa faixa super eletrizante, e que também esteve presente nessas coletâneas de hi-energy / eurobeat distribuidas no continente asiático. Uma produção de Lino Nicolosi e Severo Lombardoni. 

-Outro eurobeat do mesmo ano e com a mesma produção é Reflectors ‎– "You Drive Me Crazy" , com vocais de Dora inconfundíveis. 

-Com letra escrita pelo ícone Rino Facchietti, agora Dora Carofiglio canta no projeto Edyta ‎– "Be Slave Of My Heart" (1989), em mais uma eurobeat de Severo Lombardoni. Na capa do single, mais uma senhora desconhecida e que nossos olhos jamais irão vê-la novamente...

-Mindy Love ‎– "It's A Shame" (1989) é mais um eurobeat com a finíssima voz de Dora Carofligio, que enobrece qualquer produção. E olha que nem sou muito chegado em hi-energy. 

-No mesmo ano chega também Lisa - "Stand Up And Sing", mais um hi-energy para a conta e para os ouvidos dos japoneses.

-Essa marca o início dos anos 1990: Lisa  ‎– "I Believe In Music", trazendo na capa do disco outra modelo nada a ver com a verdadeira vocalista. Dançante e agrada aos fãs de Eurobeat!

-Muitos fãs de eurodance devem conhecer o projeto italiano Jackie Moore, e essa é uma música de 1990 regravada do artista Phill Collins "I Wish It Would Rain Down". Ah, e o vocal vocês já sabem, né?! Espetacular!! Mas é bom lembrar que esse projeto também apresenta vocalistas diferentes em outros singles, e em alguns temos as cantoras Taleesa e Maria Capri.

-Outra regravação na voz de Dora que indico é Susanne Meals ‎– "Forever", dance-pop também de 1990 (a original é de Bryan Rich). 

-1990 foi o início da fantástica década da Dance Music, e Dora cantou também no projeto Nikita  ‎– "Boys Boys" (1990). Reparem nos vocais aceleradíssimos, típico das produções de hi-energy da década de 90. No verso do single, também há um agradecimento à Dora.

-Phill Collins talvez deva ter sido um dos artistas que Dora mais regravou... Em 1990, ela cantou em The Mastermix - "Another Day In Paradise" (1990). Esqueçam o eurobeat das faixas anteriores... a faixa é bem lenta, mas muito bonita. Porém, existe ainda uma versão mais "dance", com um rapper que lembra o Snap! dividindo os vocais com Dora.

Aqui são 9 modelos, só nessa colagem, mas a voz é de Dora Nicolosi

-Edyta ‎– "Come Back" (1990) nos apresenta vocais de Dora Nicolosi e letra de Rino Facchinetti e Wilco, sim, o compositor de "Elevation" de Randy Bush.

- Estamos em 1991, e apesar da letra ser escrita por Taleesa, quem canta é Dora Nicolosi em Angie ‎– "Love Can Be Higher" (1991). A Discomagic tinha um time muito bom em seu cast antigamente, e nele incluímos a brasileira Regina, a Maria Capri, a Taleesa...e etc.

-Sissy Taylor ‎"Woman In Love" (1991): regravação da diva Barbra Streseind, na voz da diva da italo disco Dora Nicolosi. Não é um eurodance, mas sim um europop de qualidade e conduzido pela dupla de produtores Lino Nicolosi e Severo Lombardoni.

-Albinoni-"Voice Of Africa" (1991), essa é mais uma faixa diferente na voz de Dora. Produção claramente influenciada pelo projeto Enigma de Michael Cretu, com aquela mesma atmosfera poderosa e misteriosa que conhecemos, e que sabemos que tem a cara da noite.

-Mais um cover de Phill Collins na voz de Dora Nicolosi: Jackie Moore ‎– "One More Night" (1991). No mesmo ano sai Jackie Moore"Wind Of Change", outra bela regravação (Scorpions). Ambas românticas e pouco pista:

Jackie Moore - "Wind Of Change" (1991)
Ótima e relaxante versão, com influências notáveis do projeto Enigma...
 Nicolosi Productions + Discomagic + Scorpions + Dora Nicolosi...
Esperar o que, né?

-Em 1991, e através da Discomagic Records, eles lançaram ainda o quarto álbum do Novecento: "Leaving Now". No álbum, faixas como "Leaving Now", "I Need Love" e "Heart On The Line" marcam o repertório... Aliás, as letras de "Leaving Now" e "Heart On The Line" foram escritas por Taleesa, enquanto que "I Need I Love" por Tom Hooker (o verdadeiro vocalista de Den Harrow).

-Dora Nicolosi volta com seus pseudônimos ainda em 1991, e lança Annie Adams - "Everything I Do" (regravação de Bryan Adams) e "Send Me An Angel" (outra regravação de Scorpions). Lindas baladinhas lentas e que podem agradar também a quem é fã do Enigma.

-Em 1992, Lino Nicolosi trabalhou numa versão de "Foreing Affair", antes de refazê-la em 1993 para o seu projeto Randy Bush. A versão saiu como D. Twins & Novecento - "Foreign Affair" (1992). Dora Nicolosi é a vocalista, obviamente.
 
-Como falar de 1992, e não citar os grandes lançamentos do Novecento? Eles lançaram o quinto álbum  "Necessary", pela Baby Records (Será que Severo Lombardoni gostou disso?)
Dora está presente com sua majestosa voz em "Day And Night" (1992), "Kaoss Suite" (1992), "Love Is" (1992), "Marimba Day" (1992), entre outros.

-1993 foi o ano do Ace Of Base, certo? E a Discomagic e Lino Nicolosi sabiam disso, e então lançaram Aida Ross - "Under the Same Sun" (1993), com a famosa batida de euro-ragga que encantou as pistas de dança com o hino "All That She Wants". A versão cantada por Alexia fez mais sucesso no ano seguinte (projeto Due, 1994), mas Dora Nicolosi também fez um excelente trabalho em mais uma regravação da banda Scorpions:

Aida Ross - "Under de Same Sun" (1993)

- Mais um "ragga" na voz de Dora Nicolosi: Jackie Moore  ‎– "I Want To Know What Love Is" (1993), e claro, mais uma regravação que irá saciar os fãs dessa incrível vocalista. A banda Foreigner foi alvo da vez nessa produção da Discomagic.

-Em 1993, Lino Nicolosi inaugura o seu próprio selo Extrarecord, e junto de seus vários projetos, como Randy Bush, Terry J, Erica Lee... lança os singles do Novecento em versões remixes. A voz de Dora Nicolosi pode ser ouvida no single Majority - "In All The Right Places" (1993), sendo um cover de Lisa Stansfield. Não sei o nome, mas existe uma versão bacana com uma base que lembra o Snap!

-Trabalhar na Extrarecord não impossibilitou Dora de colaborar com outros estúdios, e em 1994 ela esteve na Remix Records (selo da Discomagic) regravando Lovers - "7 Seconds" (original de Youssou N'Dour & Neneh Cherry).

-Enquanto digitava aqui, surpreendentemente começou a tocar na rádio holandesa Stad Den Haag, a música de Eleonora Espago - "Flash The Night" (Savino Remix). Que musicão mágico!! Mais uma vez podemos ouvir os impecáveis vocais de Dora Nicolosi, agora nessa faixa com uma carga intensa, misteriosa e num semblante de suspense que arrepia!! Linda e perfeita para as noites... 
Esse enigmático projeto teve mais de uma vocalista, lançaram 4 singles ao todo, e sempre apresentava uma modelo de cabelos negros e encaracolados em suas capas...
Apesar do lançamento ser diretamente do ano de 1994, o single apresenta essa versão citada, que é um verdadeiro italo disco com cara de 80tão!
Lançamento da Remix Records / Discomagic.

Eleonora Espago - "Flash The Night" (1994) (Savino Remix)
Sintam só a vibe desse Italo!!

- Mas é claro, o ano era 1994!! Então o single de "Flash The Night" tinha que trazer uma versão Eurodance, para o deleite de seus vários fãs:

Eleonora Espago - "Flash The Night" (1994) (Club 94)


- Dora gravou também nos estúdios da Discomagic (selo Power Fly) a ótima eurodance Love hearts - "Heart Of Stone" (1994). Um cover de Dave Stewart.


Crédito da foto: Facebook de Lino Nicolosi
A foto foi capturada com um zoom, de um outro registro

- Só para finalizar, é lógico que ela cantou em outros estúdios também, como exemplo a S.A.I.F.A.M, local onde gravou um de seus projetos mais memoráveis: Jessica Jay
Esse projeto tinha outras cantoras diferentes, além de Dora Nicolosi, mas quem aparecia nos discos era uma modelo loira, no pior estilo Whigfield
O Jessica Jay foi um sucesso considerável na Rússia, Malásia, Singapura, Dinamarca,Tailandia, Alemanha, entre outros países... e devido ao alcance que recebeu, Jessica Jay lançou 3 álbuns de inéditas e várias compilações lucrativas.
O projeto esteve na ativa entre 1994 e 2007, e sendo basicamente de regravações.

Uma dessas músicas na voz de Dora Nicolosi é "Casablanca", mas você poderá também ouvi-la em outras faixas, como "Can't Help Falling In Love", "Broken Hearted Woman"... 
Os fãs de Euro-ragga agradecem!!

Jessica Jay - "Casablanca" (1994)

Essas são apenas ALGUMAS das músicas cantadas por Dora na década de 90... Foi aí que nasceram muitas hi-energys, algumas "eurodances" e diversas covers na voz dessa grande interprete (muitas faixas até melhores que as originais!!).

Já em 1995, os DJs piraram como o remix de David Morales para a faixa "Day And Night", que se tornou um hit absoluto nos clubs. No Brasil, esse remix também foi inserido na programação das rádios, e onde íamos, escutávamos a maravilhosa voz de Dora Nicolosi!!
 
Lembro-me que eu visitava um fórum gringo sobre Dance Music, no início dos anos 2000, e um dos membros estava perguntando se essa versão havia feito sucesso nas rádios de algum país, pois na Europa a música tocou apenas nos clubs, então eu respondi que sim, que aqui no Brasil tocou bastante na Jovem Pan, Metropolitana, Nova FM, 97 FM e tantas outras... 

David Morales já havia remixado "Space Cowboy" de Jamiroquai, que na época também foi um gigante estouro nas pistas e FM's. Lembro que o mal agradecido do vocalista informou que tinha odiado o remix, e que essa versão Dance foi uma idéia da gravadora... Mas David Morales revitalizou a música dele, assim como fez com o Novecento, ressuscitando "Day And Night" nas pistas do mundo inteiro:


Novecento - "Day And Night" (David Morales Edit)
Música de 1992 que virou uma faixa "monstro" em 1995, graças ao trabalho excepcional de David Morales

"Day And Night" é uma bela música do disco "Necessary" (1992), no entanto, a versão do álbum tem um estilo mais para o "new age" ou "ambient". 
Acho que o sucesso dessa faixa aqui no Brasil se deve muito à paixão e perspicácia do falecido DJ Mauro Borges, que apostou, tocou e divulgou "Day And Night" muito nas noites de São Paulo. 
O DJ tem esse papel na popularidade de uma música, pois ele acredita nela e, querendo ou não, colabora em transformá-la num hit-clássico, como "Day And Night" é hoje para todos nós.

Temos que valorizar e agradecer à esses profissionais das noites, pois eles nos apresentam várias pérolas musicais que depois acabam fazendo parte de nossas vidas... Esses DJ's não salvam apenas as nossas noites, mas complementam também os nossos dias com trilhas que ficam eternizadas em nossas memórias afetivas! E essa, é só uma, entre tantas que passaram antes pelas mãos do Mauro Borges, para depois brilharem por todo o país!!!

Indicação na DJ Sound (1995) de Novecento - "Day and Night"
RIP MAURO BORGES
Crédito da foto: Revista Pessoal (Rikardo Rocha)

Outra música que ficou conhecida por aqui é "Marimba Day (Everybody Dancing)", que ganhou um merecido espaço nos clubs devido ao seu remix, que é bem no estilo "ragga", e que toca ainda em muitas festas voltadas a essa vertente.

Em 1997, Todd Terry, outro mago dos estúdios, também remixou um single do Novecento,"Everybody Get Down", mas não fez muito sucesso, embora sendo um trabalho de qualidade e bem dançante.

Neste ano de 1997, o Novecento ainda gravou um novo álbum intitulado de "C'È Un Mondo Che...", e totalmente cantado em italiano... Mas não causou tanto impacto como os anteriores.

Em 1998, eles começaram a trabalhar mais para outros artistas, então pouco ouvimos falar sobre o Novecento. O quarteto se fechou em estúdio próprio e produziu discos para vários cantores, como exemplo Billy Preston (álbum "You and I"). 
Dora fez o backing vocal para muitos desses artistas, enquanto que os demais integrantes criavam sons com seus instrumentos, assim como arranjos e composições.

Os integrantes do Novecento, em 1969
Crédito da foto: Facebook de Lino Nicolosi

Em 2008, o Novecento resolveu produzir algo para seus fãs, e nascem "Cry" e "Stop The Time", singles que figuraram nos charts italianos... aliás, "Cry" tornou-se a música mais baixada do itunes da Itália naquele ano, e dessa nova fase do Novecento veio também o novo álbum: "Secret" (2008).
Mesmo com boa repercussão, eles voltaram a produzir para grandes músicos, então trabalharam com muita gente, incluindo os astros Chaka Khan, Patti Austin e Sting.
Atualmente, o Novecento continua seguindo esse mesmo aspecto de produção, dedicando-se de forma mais resguardada, e voltada mais ao Jazz.

Dora Nicolosi está com seus atuais 56 anos de idade, mora em San Giuliano Milanese (Milão) e permanece super discreta. A cantora não possui redes sociais e tão pouco a vemos participando de reuniões ou eventos com fãs. Dora parece gostar de viver uma vida pacata e sem incômodos, mas como Lino Nicolosi tem uma conta no facebook, ocasionalmente conseguimos vê-la, em alguma foto com ele.

Crédito da foto: Facebook de Lino Nicolosi
A foto foi capturada com um zoom, de um outro registro

Crédito da foto: Facebook de Lino Nicolosi
A foto foi capturada com um zoom, de um outro registro


DOWNLOAD
-CD coletânea - Greatest Hits Novecento 80 - 90 (18 faixas)
Tipo: MP3

-CD single - Dr. DJ Cerla - "Everybody Pom Pom" (1994)
Tipo: MP3

-Pasta com mais de 70 faixas cantadas por Dora Nicolosi em diversos projetos nas décadas de 80 e 90, nos gêneros: pop, italodisco, eurodance, ragga, e etc.
Tipo de Arquivo: MP3
A qualidade de algumas músicas não está muito boa, mas pelo fato de serem músicas raras, já se torna um material bastante interessante... O arquivo zipado tem 72 faixas. Existem, com certeza, muito mais músicas por aí que ela gravou e que não estão neste arquivo...

CONECTE-SE
COM DR. DJ CERLA

CONECTE-SE
COM NICOLOSI PRODUCTIONS

São tantas músicas gravadas e tanta qualidade na voz de Dora Nicolosi, que entendemos perfeitamente a preferência de Dr. DJ Cerla por esta grandiosa vocalista... 
E aí, qual é a sua opinião sobre esses artistas? Qual música que eles gravaram, que você mais gosta??

Deu trabalho juntar todas as informações, solicitar respostas aos produtores, resgatar materiais lá da última gaveta, digitar textos, digitalizar revistas, traduzir, legendar, editar... Se você gostou, colabore com o crescimento da página compartilhando o artigo, ou indicando o nosso endereço!

Obrigado, e até a próxima!!